17 sintomas que podem te ajudar a diagnosticar a depressão pós parto

O que é depressão pós parto?
O que é depressão pós parto?

Neste super artigo vamos conhecer os sintomas da depressão pós parto, aprender como diferenciar dos “baby blues” e ainda vamos ver dicas de atitudes muito importantes que você deve tomar para se curar com maior rapidez.

O que é depressão pós-parto?

A depressão pós-parto é uma condição de profunda tristeza, desespero e falta de esperança que acontece logo após o parto.

Muitas vezes ela pode ser confundida com “baby blues” e também pode, mesmo que raramente, evoluir para uma forma mais agressiva e extrema da depressão pós-parto, conhecida como “psicose pós-parto”. 

Falaremos em detalhes sobre isso daqui a pouco…

Esta condição traz inúmeras consequências ao vínculo da mãe com o bebê, sobretudo no que se refere ao aspecto afetivo.

A literatura cita efeitos no desenvolvimento social, afetivo e cognitivo da criança, além de sequelas prolongadas na infância e adolescência.

Desafios emocionais da maternidade

Como nova mãe, você enfrenta muitos desafios para se acostumar à nova vida com um recémnascido.

Você provavelmente está lidando com falta de sono, novas responsabilidades ou até mesmo dor no peito, se estiver amamentando.

Mas agora estamos falando de outra dor, uma profunda dor emocional que surge após o parto e persiste além de duas semanas.

Muitas mulheres experimentam várias emoções diferentes e de alta intensidade, como antecipação, excitação, felicidade, satisfação, bem como ansiedade, frustração, confusão ou tristeza e culpa durante a gravidez e no período pós-parto. 

O período pós-parto pode tornar você altamente vulnerável ​​a distúrbios psiquiátricos.

Não são só os “baby blues“, como é chamada a leve depressão que começa logo após o parto, mas que normalmente desaparece após uma semana ou duas.

Estou falando de depressão pós-parto, que é uma forma grave de depressão clínica relacionada à gravidez e ao parto.

No entanto, é mais comum do que você pensa.

Um estudo feito com 10.000 mães com recém-nascidos descobriu que cerca de 1 em cada 7 sofria de depressão pós-parto .

Felizmente, a maioria dessas mulheres confirmou que o tratamento resolveu.

Os sintomas podem começar a qualquer momento durante o primeiro ano do bebê, mas é mais comum que seus efeitos comecem a ser sentidos durante as primeiras 3 semanas após o nascimento.

Se você está com depressão pós parto, pode se sentir triste, sem esperança e culpada, porque pode não sentir vontade de se relacionar ou cuidar de seu bebê.

Esta doença não afeta apenas mães de primeira viagem.

Pode ocorrer mesmo com mães que já tiveram outros filhos e não tiveram depressão antes.

Como diferenciar a depressão pós parto dos "baby blues"?
Como diferenciar a depressão pós parto dos “baby blues”?

Como diferenciar a depressão pós parto dos “baby blues”?

Veja a seguir como você pode diferenciar os baby blues da depressão pós-parto:

Quando são só Baby Blues

  • Seu humor muda rapidamente de feliz para triste. Num minuto, você se orgulha do trabalho que está fazendo como uma nova mãe, no seguinte você está chorando porque acha que não está preparado para a tarefa;
  • Você não sente vontade de comer ou se cuidar porque está exausta;
  • Sente-se irritada, oprimida e ansiosa;
  • O “baby blues” refere-se a sentimentos de tristeza , preocupação, fadiga e insegurança que assolam até 80% das novas mães logo após o nascimento. No entanto, esses sintomas duram apenas alguns dias ou semanas, e se resolvem espontaneamente;
  • Esses sentimentos nada mais são do que uma manifestação da nova responsabilidade que as mães assumem pelos bebês, combinada com fadiga física e privação de sono.

Quando é depressão pós-parto

  • Quando você se sente sem esperança, triste, sem valor ou sozinha o tempo todo, e chora com frequência;
  • Não sente que está fazendo um bom trabalho como uma nova mãe;
  • Quando não está se relacionando com seu bebê;
  • Você não consegue comer, dormir ou cuidar do seu bebê por causa do seu desespero avassalador;
  • Pode ter ataques de ansiedade e pânico;
  • Quando esses sentimentos e a sensação de incapacidade perduram por mais de duas a três semanas.

Quais as causas da depressão pós parto?

Existem muitas causas, incluindo:

  • Hormônios: Seus níveis hormonais aumentam quando você está grávida. Depois que seu bebê nasce, eles caem repentinamente. Essa mudança rápida pode desencadear depressão em algumas mulheres. (Se você se sente mal-humorada antes de menstruar, sabe como os hormônios podem afetá-la.)
  • Histórico de depressão: Se você já teve depressão antes ou ocorre em sua família, é mais provável que tenha depressão pós-parto.
  • Estresse e problemas: Se você não queria engravidar, ou se seu parceiro e família não o ajudam a cuidar do bebê, é mais provável que você fique deprimido como uma nova mãe. A condição também é mais comum entre mulheres com problemas financeiros, problemas com drogas ou álcool ou outras grandes fontes de estresse.
  • Mulheres muito jovens que não estão preparadas para cuidar ou apoiar um bebê também estão em risco.
Quais as causas da depressão pós parto?
Sintomas que ajudam no diagnóstico

17 sintomas que podem te ajudar a diagnosticar a Depressão pós parto.

Como os sintomas da depressão pós-parto podem ser confundidos com baby blues, preste atenção nos sinais mais intensos e que duram mais tempo e que, eventualmente, interferem na sua capacidade de cuidar do bebê e de realizar outras tarefas diárias.

Geralmente se desenvolvem nas primeiras semanas após o parto, mas os sintomas também podem começar mais cedo, durante a gravidez, ou mais tarde, até um ano e meio após o nascimento.

Os 17 sintomas que podem te ajudar a diagnosticar a depressão pós-parto são: 

  1. Humor deprimido ou mudanças graves de humor;
  2. Choro excessivo;
  3. Dificuldade de se relacionar com seu bebê;
  4. Vontade de manter-se isolada da família e amigos;
  5. Perda de apetite ou comer muito mais que o normal;
  6. Incapacidade de dormir (insônia) a noite ou dormir demais durante o dia;
  7. Fadiga avassaladora ou perda de energia sem explicação;
  8. Menor interesse e prazer nas atividades de que você gostava antes;
  9. Irritabilidade e raiva intensas;
  10. Medo de que você não é uma boa mãe;
  11. Desesperança;
  12. Sentimentos de inutilidade, vergonha, culpa ou inadequação;
  13. Menor capacidade de pensar com clareza, concentrar-se ou tomar decisões;
  14. Inquietação;
  15. Ansiedade grave e ataques de pânico;
  16. Pensamentos de prejudicar você ou seu bebê;
  17. Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio

Em caso de identificação com alguns destes sintomas e que persistam por mais de duas ou três semanas, procure um médico para fazer um diagnóstico mais preciso e, caso necessário,  iniciar um tratamento imediatamente.

adult care cure 433635 768x1024 - 17 sintomas que podem te ajudar a diagnosticar a depressão pós parto
Médico psiquiatra deve ser consultado

Como fazer o diagnóstico corretamente e tratar a depressão pós parto?

Para ter certeza sobre o diagnóstico desta doença,  um médico psiquiatra deve ser consultado.

Procure logo um especialista que poderá, inclusive, iniciar imediatamente um tratamento medicamentoso adequado a você e a sua condição.

Então, se você suspeita que está com depressão, marque uma consulta imediatamente.

Ainda que você seja diagnosticada com depressão pós-parto, não se preocupe.

Existem tratamentos que farão com que você se sinta bem novamente e, em poucos dias após iniciar um tratamento acertado, poderá retornar às suas atividades com toda capacidade que você tinha antes.

Agora vejamos as alternativas de tratamento disponíveis:

  • Medicação

O seu médico pode decidir prescrever antidepressivos . Esses medicamentos ajudam a equilibrar certas substâncias químicas do cérebro ligadas à depressão. Muitos são seguros para se tomar enquanto você amamenta. Apenas certifique-se de informar seu médico se estiver amamentando;

  • Aconselhamento 

Conversar com um psicólogo ou terapeuta também pode ser uma grande ajuda. Você pode aprender maneiras de reconhecer quando está tendo pensamentos negativos para saber como lidar melhor com eles. Você pode até discutir relacionamentos ou estresses passados ​​e aprender a trabalhar com eles para que não afetem sua vida agora.

Hábitos corretos auxiliam na rápida recuperação
Hábitos corretos auxiliam na rápida recuperação

Hábitos que podem acelerar a sua recuperação

Se você foi diagnosticada com depressão pós-parto, e está iniciando um tratamento com medicamentos ou apoio psicológico, saiba que existem coisas muito importantes que você pode fazer para se sentir melhor e que podem ser definitivas e ainda acelerar e muito a sua recuperação. 

Preste atenção nas dicas a seguir para você tomar as rédeas da sua recuperação em suas mãos e sair desta condição o mais rápido possível:

  • Exercite-se diariamente

Pode ser um imenso desafio se exercitar estando deprimida, por isso procure uma companhia para te ajudar a se animar. Combine um horário regular para se encontrar com esta pessoa para fazer uma caminhada ou talvez te acompanhar em uma aula em alguma academia. Isso vai fazer com que fique mais difícil desistir de se exercitar. Ainda como dica, a Yoga pode ser uma atividade incrível para ajudar a tratar a depressão uma vez que ensina o controle das emoções através do controle da respiração. Ajuda a acalmar a mente e ter mais clareza a respeito de si mesma e o que acontece neste momento tão especial da vida. 

  • Inclua coisas divertidas no seu dia

Combine com pessoas que você gosta de estar, para fazer algumas atividades leves e divertidas, como ir ao cinema ou assistir a um filme, passear ou mesmo marcar uma sessão de beleza com cuidados com cabelos, unhas ou corpo. Procure dar atenção a momentos só seus, sem o bebê. Não se culpe,  pois isso vai te ajudar a aumentar a auto-estima e assim você vai se sentir melhor e mais forte para cuidar do bebê e, como resultado, seu bebê será melhor cuidado;

  • Tenha objetivos simples e fáceis

Crie metas simples e fáceis de atingir. Seja realista neste momento! Pode ser difícil para qualquer mulher cuidar do bebê, de si mesma e ainda de dar conta de todas as obrigações da vida, seja de papéis como mãe, dona de casa ou profissional. Tente ser prática e faça uma lista das coisas mais importantes que não podem deixar de serem feitas. Divida-as pelos dias da semana. Limite-se a se comprometer a fazer somente aquilo que você acredita que consegue realizar com pouco esforço. Mais uma vez tente ser bem realista e honesta com você. Permita-se não ser a super-mulher que você sabe que é neste momento. E agora vem a dica mais importante: peça ajuda para resolver aquelas necessidades que você não consegue fazer sozinha agora neste momento. Delegue, assim não vai se sentir culpada com coisas pendentes.

  • Relaxe

Tenha em mente que não é culpa sua não conseguir realizar tarefas que antes eram simples para você. A depressão pós parto incapacita a mulher. Portanto, tenha ciência de que, quanto mais você focar em se sentir bem, no autocuidado, facilitando as coisas pra você mesma no seu dia-a-dia, mais rápido você se sentirá bem novamente. 

  • Cerque-se de pessoas que se importam

Converse com seu parceiro(a) sobre como você se sente. Mais uma vez, não se culpe. Você passou pelo maior milagre da vida e tem total direito de receber amor e atenção neste momento. Convide pessoas queridas para ficar perto de você. Busque por companhias alegres e divertidas. Deixe que as pessoas se esforcem para fazer você se sentir melhor. E tenha fé que vai ficar tudo bem!

Depressão pós parto Tardia

A depressão pós parto é considerada tardia quando é diagnosticada em mães com bebês a partir de um ano.

E quando se trata de depressão pós-parto atrasada, outras situações podem aumentar seus níveis de estresse.

Embora a princípio, seu bebê recém-nascido tenha dormido a maior parte do dia, agora eles podem estar com problemas ou ter cólicas.

Eles também exigem mais cuidados, pois estão aprendendo a andar e a falar, e podem levar você a exaustão com mais facilidade.

E, mesmo que você tenha recebido ajuda extra de amigos ou parentes durante as primeiras semanas da vida de seu bebê, é muito provável que esteja lidando com esses novos desafios sozinha.

A depressão após a gravidez é semelhante a qualquer outro episódio de depressão que possa ocorrer em outro momento da vida.

Neste caso, os sintomas da depressão pós parto tardia são os mesmos já descritos  anteriormente. 

Lembre-se, se você passou pelo puerpério e está sentindo quaisquer sintomas descritos acima, por mais de  3 semanas, não hesite e não perca tempo, procure logo a orientação de um médico especialista.

Homens também tem depressão pós parto
Homens também tem depressão pós parto

Os pais também podem ter depressão pós parto?

Os novos pais também podem experimentar depressão pós-parto.

Eles podem sentir-se tristes ou cansados, sentir-se sobrecarregados, sentir ansiedade ou ter alterações nos seus hábitos de comer e dormir, os mesmos sintomas que as mães com experiência de depressão pós-parto.

Os pais que são jovens e tem histórico de depressão, tem problemas de relacionamento ou têm dificuldades financeiras, correm maior risco de depressão pós-parto.

A depressão pós-parto nos pais, às vezes chamada de depressão pós-parto paterna, pode ter o mesmo efeito negativo nas relações com o parceiro e no desenvolvimento infantil que a depressão pós-parto nas mães.

Pesquisas apresentadas no Congresso da Associação Americana de Psicologia mostram que os sintomas atingem 10% dos novos pais.

“Há uma mudança muito grande na constituição da família e ela atinge a todos, inclusive os homens. Eles acabam sofrendo com a privação do sono e as dificuldades de entender o novo papel de pai”, comentou a psicóloga e psicanalista Cássia Rodrigues.

Um fator que faz com que a depressão pós-parto nos homens seja pouco falada é porque geralmente eles mesmos encaram isso com preconceito e acabam não procurando ajuda profissional.

“Por muito tempo achou-se que a depressão pós-parto fosse apenas hormonal. Até que as pesquisas começaram a detectá-la em casos de adoção”, completou.

Se você é um pai novo e apresenta sintomas de depressão ou ansiedade durante a gravidez do seu parceiro ou no primeiro ano após o nascimento do seu filho, converse com seu profissional de saúde.

Tratamentos e suportes semelhantes fornecidos às mães com depressão pós-parto podem ser benéficos no tratamento da depressão pós-parto nos pais.

O que é psicose puerperal?
O que é psicose puerperal?

Psicose Pós-Parto ou Psicose puerperal

Segundo a psicóloga perinatal Luciana Rocha, diferente da depressão, a psicose puerperal provoca um afastamento da realidade.

É um transtorno mental grave que acomete mulheres no fim da gestação ou no pós-parto.

A mulher com psicose puerperal vivencia delírios ou alucinações e apresenta uma ruptura com a realidade.

A psicóloga afirma que a mulher no quadro psicótico pode não ser capaz de reconhecer seu bebê como seu ou mesmo como um bebê.

  • “Por isso, o índice de infanticídio é tão alto em quadros de psicose puerperal”.

Não há consenso sobre os dados no Brasil, mas alguns estudos indicam que a incidência da psicose puerperal é de um caso em cada 1000 partos.

  • “As mulheres puérperas têm a sensação de enlouquecer, de perder todos os espaços de identificação ou de referência conhecidos; os ruídos são imensos, a vontade de chorar é constante, tudo é incômodo, acreditam ter perdido a capacidade intelectual, racional. Não estão em condições de tomar decisões a respeito da vida doméstica.Vivem como se estivessem fora do mundo; vivem, exatamente, dentro do ‘mundo-bebê”.

Em caso da psicose puerperal, o diagnóstico  pode ser mais difícil

Laura Gutman, no livro “A maternidade e o encontro com a própria sombra”, fala sobre como o diagnóstico pode ser difícil, pois o quadro pode ser facilmente confundido com momento de adaptação à nova realidade materna ou com a depressão pós-parto.

“ Os primeiros sintomas são euforia, irritação, agitação, insônia”, diz Luciana.

Porém, no quadro de psicose puerperal, aparecem as alucinações, ideias persecutórias, desorientação, desorganização, delírios, despersonalização e confusão mental. 

Depois de diagnosticado, alguns casos requerem internação para um intervenção mais intensa e controle do surto.

Outros casos, requerem medicação e após saída do surto, medicação e psicoterapia, para a mãe e familiares.

Alguns estudos indicam que até três anos após o nascimento do bebê, a mulher apresenta risco de adoecimento mental puerperal, sendo o primeiro ano o mais crítico.

O que não deixa dúvidas de que tanto nos casos de depressão quanto de psicose pós-parto, as mulheres precisam de apoio.

Já existe o consenso de que o período de tentativas de gravidez, de gestação ou pós-parto, ou seja, todo o ciclo gravídico-puerperal, apresenta um risco de, pelo menos, 25% a mais de chances de adoecimento psíquico para a mulher.

Conclusão

Havendo a identificação com alguns dos sintomas listados e no caso de eles persistirem por mais de 3 semanas, você deve procurar um médico especialista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

Esta doença tem tratamento e não deve incapacitar a a mãe. 

Alguns hábitos saudáveis devem ser adquiridos pois são definitivos para o rápido restabelecimento após inicio do tratamento.  

Se você já teve diagnóstico de depressão pós parto ou conhece alguém que pode se beneficiar deste artigo, deixe um comentário e compartilhe.

Esta ação pode ajudar outras mulheres a diagnosticarem a doença mais rapidamente e com isso, receber o tratamento adequado!

Referências para este post:
http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental/depressao-pos-parto
https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/postpartum-depression/symptoms-causes/syc-20376617

https://www.webmd.com/depression/postpartum-depression/understanding-postpartum-depression-basics#2
http://www.indianjpsychiatry.org/article.asp?issn=0019-5545;year=2015;volume=57;issue=6;spage=216;epage=221;aulast=Rai
https://www.webmd.com/depression/postpartum-depression/postpartum-depression-baby-blues#2
https://flo.health/being-a-mom/recovering-from-birth/emotions-after-delivery/how-to-identify-and-treat-delayed-postpartum-depression
https://www.folhavitoria.com.br/saude/noticia/05/2019/homens-tambem-sofrem-com-depressao-pos-parto-diz-especialista
https://lunetas.com.br/psicose-no-pos-parto-entenda-o-que-e-e-como-diagnosticar/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.