Os sintomas de uma gravidez ectópica e as 12 maiores causas

Neste artigo você vai saber quais são os sintomas de uma gravidez ectópica e eu vou falar ainda quais são as 12 maiores causas deste tipo de gravidez. Mas primeiro vamos ver o que é uma gravidez ectópica:

 

O que é uma Gravidez Ectópica?
O que é uma Gravidez Ectópica?

O que é uma gravidez ectópica?

Uma gravidez ectópica ocorre quando um óvulo fertilizado se implanta e cresce fora da cavidade principal do útero.

Na gravidez normal o óvulo fertilizado se liga ao revestimento do útero.

Uma gravidez ectópica ocorre mais freqüentemente nas trompas de falópio, que transporta óvulos dos ovários para o útero.

Este tipo de gravidez ectópica é chamado de gravidez tubária.

Às vezes, uma gravidez ectópica ocorre em outras áreas do corpo, como o ovário, a cavidade abdominal ou a parte inferior do útero (colo do útero), que se conecta à vagina.

Uma gravidez ectópica não pode prosseguir normalmente. O óvulo fertilizado não pode sobreviver.

Além disso, o tecido em crescimento pode causar sangramento com risco de vida, se não for tratado.

Este tipo de gravidez anormal acomete cerca de 1% a 2% das mulheres.

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2016 foram registradas 9.411 internações por causa da gravidez ectópica.

Em 2015, das 8.914 internações, 35 mulheres vieram a óbito.

Nos casos mais complicados pode ocorrer o rompimento das trompas de falópio.

Ou seja, o embrião se fixa neste local estreito e começa a se multiplicar até que em algum momento ele rompe a trompa.

Esse é um quadro de emergência aguda e antigamente  causava a morte das mães.

Entretanto, hoje em dia, a mulher só corre risco de vida se estiver em um lugar sem atendimento médico.

Além disso, mesmo em casos mais graves, se o atendimento médico for prestado, os riscos de vida da gestante são mínimos.

Entretanto é importante ressaltar que  uma gravidez ectópica não tratada pode ser uma emergência médica.

O tratamento imediato reduz o risco de complicações da gravidez ectópica, aumenta suas chances de gravidez futura e saudável e reduz futuras complicações de saúde.

Quais os sintomas de uma Gravidez Ectópica
Quais os sintomas de uma Gravidez Ectópica

Quais são os sintomas de uma gravidez ectópica?

Você pode não notar nada no começo. No entanto, algumas mulheres com uma gravidez ectópica têm os mesmos sinais ou sintomas iniciais da gravidez normal.

Ou seja, se você fizer um teste de gravidez, o resultado será positivo.

Ainda assim, uma gravidez ectópica não pode continuar normalmente.

Além disso sinais e sintomas aumentam à medida que o óvulo fertilizado cresce no local impróprio.

Náuseas e dores nas mamas são sintomas comuns tanto nas gravidezes ectópicas quanto na gravidez normal uterina. 

Vamos falar agora dos sintomas que são mais comuns em uma gravidez ectópica e que podem indicar uma emergência médica:

  • ondas agudas de dor no abdômen, na pelve, no ombro ou no pescoço (abaixo explico melhor porquê dor no ombro)
  • dor severa que ocorre em um lado do abdômen
  • Sangramento vaginal leve ou forte
  • tontura ou desmaio
  • pressão retal

Se você estiver grávida e tiver algum destes sintomas, você deve procurar o seu médico e tratamento imediato.

Alerta precoce de gravidez ectópica

Muitas vezes, o primeiro sinal de aviso de uma gravidez ectópica é dor pélvica. Hemorragia vaginal leve também pode ocorrer.

Se o sangue vazar da trompa de Falópio, você pode sentir uma dor abdominal crescente,movimento intestinal ou desconforto pélvico.

Se ocorrer sangramento intenso (hemorragia), você pode sentir dor no ombro, pois o sangue preenche a pélvis e o abdômen.

Seus sintomas específicos dependem de onde o sangue é coletado e quais nervos estão irritados.

Quais os sintomas que sugerem maior emergência?

Como já falei anteriormente se o óvulo fertilizado continuar a crescer na trompa de Falópio, pode causar a ruptura do tubo.

Consequentemente, neste caso pode ocorrer um sangramento pesado dentro do abdômen.

Além disso, outros sintomas acompanham este evento com risco de vida incluem extrema tontura, desmaios, dor abdominal intensa e choque.

Diagnosticando uma gravidez ectópica

Se você suspeitar que pode ter uma gravidez ectópica, consulte o seu médico imediatamente.

Gravidezes ectópicas não podem ser diagnosticadas a partir de um exame físico.

No entanto, seu médico ainda pode realizar um para descartar outros fatores.

Por exemplo, um outro exame para o diagnóstico da gravidez ectópica é a ultrassonografia transvaginal.

Neste exame é inserido um instrumento especial tipo uma  varinha em sua vagina. Que possibilita que seu médico possa observar se o saco gestacional está no útero.

Além disso, seu médico também pode usar um exame de sangue para determinar seus níveis de hCG e progesterona.

Estes são hormônios que estão presentes durante a gravidez.

Entretanto, se esses níveis hormonais começarem a diminuir ou permanecerem os mesmos ao longo de alguns dias e um saco gestacional não estiver presente em um ultrassom, a gravidez provavelmente é ectópica.

Se você tiver sintomas graves, como dor ou sangramento significativo, pode não haver tempo suficiente para concluir todas essas etapas.

Nesse caso, como a  trompa de Falópio pode se romper, causando sangramento interno grave, o seu médico poderá então realizar uma cirurgia de emergência para fornecer tratamento imediato, por exemplo.

Na gravidez ectópica o feto sobrevive?

Como na grande maioria das gravidezes ectópicas o embrião estará implantado nas trompas de falópio.

E caso não for controlado, o crescimento fetal envolverá grandes quantidades de tecido e estruturas vasculares.

É nesse ponto que a gravidez pode se tornar perigosa com qualquer ruptura que possa causar uma grande hemorragia.

Como a morte fetal é quase certa e o risco para a mãe é alto, a interrupção da gravidez  será recomendada. Nesse caso poderá ser por meio de cirurgia ou medicamentos abortivos .

Por esses motivos o feto não poderá sobreviver no caso da gravidez ectópica confirmada.

Além disso, quando o embrião está na cavidade abdominal apresenta graves riscos de hemorragia e malformação fetal.

Mesmo nos casos extremamente raros de nascidos vivos por cirurgia, a mãe corre risco, pois a placenta não se separa naturalmente, como em uma gravidez uterina.

Infelizmente, nenhuma tecnologia médica existe atualmente para mover uma gravidez ectópica das trompas de Falópio para o útero.

Casos raros de gravidez ectópica bem sucedida

Embora tenha havido casos em que uma gravidez ectópica foi levada até  nascimento, as condições pelas quais elas ocorreram foram extremamente incomuns.

Na verdade, eles são tão raros que as probabilidades de gravidez ectópica bem sucedida são em torno de 1 em 3 milhões.

Além disso, a maioria dos partos de sucesso na gravidez ectópica ocorreu porque a  implantação do óvulo se deu em algum lugar do abdômen em vez das trompas de falópio.

Referida como uma gravidez abdominal, nesses casos o embrião estará geralmente situado perto do fígado ou de outros órgãos onde o suprimento de sangue é rico.

Mesmo assim, as chances de sobrevivência são muito pequenas.

Entretanto o parto também pode ser complicado, dependendo de onde os principais vasos sanguíneos ou órgãos estão localizados.

Para ilustrar o quanto pode ser raro um caso de gravidez ectópica bem sucedida vou citar um caso britânico, no qual a gravidez abdominal foi diagnosticada em 20 semanas.

Este caso foi apenas uma das três gravidezes documentadas no Reino Unido em mais de 20 anos.

No caso de  gravidez ectópica é preciso fazer cirurgia?

 

Em primeiro lugar é feito um tratamento medicamentoso abortivo. Consequentemente se a terapia com medicamentos não funcionar, a cirurgia é o próximo passo.

Além disso, é também a única opção para mulheres com altos níveis de hCG, sintomas graves e trompas de falópio rompidas ou danificadas.

Por outro lado você pode fazer uma cirurgia laparoscópica que envolve um corte muito pequeno, uma câmera pequena e nenhum dano à trompa de falópio.

Certamente os cirurgiões preferem usar este método em vez de fazer cirurgia com um corte maior.

No entanto, às vezes isso não é possível. Se o seu tubo se rompeu ou foi gravemente danificado e teve hemorragias graves, provavelmente necessitará de cirurgia de emergência com a incisão maior.

Nestas situações, os cirurgiões podem ter que remover sua trompa de falópio.

Após a cirurgia, os médicos verificam seus níveis de hCG para certificar-se de que estão diminuindo e a gravidez foi removida corretamente. 



As 12 maiores causas da Gravidez Ectópica
As 12 maiores causas da Gravidez Ectópica

As 12 maiores causas de uma gravidez ectópica que você precisa conhecer para se prevenir

 

Existem algumas causas de gravidez ectópica bem conhecidas pela ciência, porém, muitas mulheres ainda as desconhecem. Veja a seguir as 12 maiores possíveis causas de uma gravidez ectópica:

 

  1. Gravidez ectópica anterior
  2. Inflamação ou infecção das trompas de Falópio
  3. Problemas de fertilidade
  4. Trompas de Falópio com um formato incomun
  5. Idade materna avançada de 35 anos ou mais
  6. História de cirurgia pélvica, cirurgia abdominal, ou vários abortos
  7. História de endometriose
  8. Concepção auxiliada por medicamentos de fertilidade ou procedimentos
  9. Tabagismo
  10. História de DSTs
  11. Uso inadequado do DIU. Se utilizado corretamente, o DIU deve impedir a gravidez. No entanto, se por algum motivo ela ocorrer, provavelmente será ectópica
  12. Gravidez após cirurgia de laqueadura. Embora a gravidez após a ligadura tubária seja rara, se isso acontecer, é mais provável que seja ectópica.

 

A endometriose e a gravidez ectópica

 

As mulheres com endometriose são 76% mais propensas a ter um aborto do que as mulheres que não sofrem da condição. 

Entretanto, na população em geral, uma em cada cinco mulheres grávidas é susceptível de abortar.

Este estudo mostra que em mulheres com endometriose, esse risco aumenta para cerca de um em cada quatro.

A gravidez ectópica é mais rara, uma em 100, mas em mulheres com endometriose, esse risco é mais que o dobro.

Sabemos  que as gravidezes podem ser mais complicadas para as mulheres com endometriose. No entanto o impacto da endometriose nos resultados da gravidez tem sido relativamente inexplorado.

Além disso, estudos de base populacional sobre endometriose são difíceis de realizar porque a doença só pode ser diagnosticada com certeza por laparoscopia.

A literatura existente sobre o assunto é limitada e a opinião entre os estudos anteriores não é apenas dividida, mas a confirmação cirúrgica da endometriose nem sempre foi possível.

Mulheres com endometriose são mais propensas a perder o bebê e precisam de cuidados extras, dizem médicos de fertilidade.

É causada pelo revestimento do útero sendo encontrado em outras partes do corpo, incluindo os ovários ou a vagina.

Um estudo, com cerca de 15.000 pessoas na Escócia, descobriu que a condição aumentava o risco de aborto espontâneo em 76%.

A endometriose pode ser difícil de identificar e acredita-se que afeta entre 2% e 10% das mulheres.

Os sintomas da endometriose incluem menstruações dolorosas e dor de estômago.

A equipe de pesquisa analisou dados de 5.375 mulheres com endometriose e 8.280 mulheres saudáveis.

 

 

 

[calculadora-gravidez]

Quanto tempo esperar para engravidar novamente depois de uma gravidez ectópica?

Você pode querer tentar engravidar novamente quando você e seu parceiro se sentirem  fisicamente e emocionalmente prontos.

No entanto você provavelmente será aconselhada a esperar até que você tenha pelo menos dois períodos de menstruação após o tratamento, antes de tentar novamente para se recuperar.

Além disso, se você fez uso de medicamentos durante o tratamento da gravidez ectópica, geralmente é recomendável que você espere pelo menos 3 meses, porque o medicamento pode prejudicar o bebê se você engravidar durante este período.

Certamente a maioria das mulheres que tiveram uma gravidez ectópica poderá engravidar novamente, mesmo que tenham tido uma trompa de Falópio removida.

No geral, 65% das mulheres conseguem uma gravidez bem sucedida dentro de 18 meses após uma gravidez ectópica.

Ocasionalmente, pode ser necessário usar tratamento de fertilidade, como a Fertilização In Vitro (FIV).

As chances de ter outra gravidez ectópica são maiores se você já teve uma antes, mas, no entanto,  o risco ainda é pequeno (em torno de 10%).

Acima de tudo, se você engravidar novamente, é uma boa ideia informar seu médico o mais rápido possível para que as verificações iniciais possam ser realizadas e confirmar que está tudo OK.

 

Se você gostou deste artigo deixe um comentário e compartilhe para que essa informação alcance mais pessoas.

 

Todo o conteúdo deste site, incluindo opinião médica e qualquer outra informação relacionada à saúde, é apenas para fins informativos e não deve ser considerado como um diagnóstico específico ou plano de tratamento para qualquer situação individual. O uso deste site e as informações contidas neste documento não criam uma relação médico-paciente. Sempre procure o conselho direto de seu próprio médico em relação a quaisquer perguntas ou problemas que você possa ter em relação à sua própria saúde ou à saúde dos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.